RS tem mais 1 mil pessoas atingidas e 900 residências afetadas por vendaval, diz Leite

Em uma transmissão pelas redes sociais no final da manhã desta quarta-feira, o governador Eduardo Leite classificou como um “evento fora da curva” o ciclone que atingiu o Rio Grande do Sul. “Os estragos foram muitos, evidentemente, tudo se torna mais complexo. Estamos atuando, monitorando e acompanhando esses fatos para reduzir os transtornos, mas evidentemente essa quarta-feira ainda vai ser de transtornos para os cidadãos gaúchos”, afirmou o chefe do Executivo, que avaliou que os alertas emitidos pela Defesa Civil do Estado desde segunda-feira ajudaram a minimizar os danos em diferentes regiões.

“Temos, até o momento, 1.119 pessoas atingidas e 921 residências até o momento afetadas pela chuva, pelo vento, ou até mesmo queda de granizo em algum momento, nas últimas 48 horas”, informou. As cidades de Iraí, Cacique Doble, Barracão, Vacaria e Capão Bonito do Sul foram as mais atingidas.

Ainda na terça, a Defesa Civil enviou três mil metros quadrados de lonas para Iraí, depois do temporal ter causado danos em 300 residências. “Estamos em alerta total. Todo o nosso efetivo está no terreno, fazendo levantamento de danos e dando todo o suporte às prefeituras. Felizmente, o alerta que emitimos na segunda-feira (30/6) minimizou os danos, visto que várias cidades da região Norte estavam avisadas”, lembrou o coordenador da Defesa Civil e chefe da Casa Militar, coronel Júlio César Rocha Lopes.

Conforme Leite, a o órgão está ajudando prefeituras na remoção de obstáculos, árvores caídas e alguns problemas em rodovias em função da precipitação, do volume de chuva, ou pelo deslizamento. O governador também pontuou que as autoridades fazem o monitoramento hidrológico dos principais rios do estado que seguem em elevação, com destaque para as bacias do Ijuí, Taquari, Antas, Caí, Sinos e Gravataí. “Nós não temos uma previsão de volume significativo, de previsão de chuva nas próximas horas que aponte para uma elevação anormal. Mas esses rios podem seguir em alta por conta do deslocamento das águas”, finalizou.

A Defesa Civil Estadual, juntamente com a Sala de Situação da Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema), está monitorando a elevação dos níveis. Para as próximas horas, não são previstos volumes significativos, mas alguns rios ainda seguem em elevação em função do deslocamento das ondas de cheia de acordo com as particularidades e do tempo de concentração de cada bacia. Todas as equipes das nove Coordenadorias Regionais da Defesa Civil estão prestando suporte aos municípios e às comunidades atingidas.

Fonte/Correio do Povo

%d blogueiros gostam disto: