Reconstituição da morte de menino de 11 anos em Planalto dura cerca de três horas

A reconstituição da morte domenino Rafael Mateus Winques, de 11 anos, começou por volta das 21h em Planalto, no Norte do estado. A reprodução da noite do crime foi conduzida por uma equipe do Instituto Geral de Perícias (IGP).

Pouco depois das 22h, a mãe, Alexandra Dougokenski, refez o caminho como teria feito na noite de 14 e na madrugada de 15 de maio. Policiais levaram objetos em sacos para dentro da casa para reproduzir a cena. O advogado dela, Jean Severo, acompanhou tudo de perto.

Mais tarde, às 23h15, ela passou pelo lado de fora da casa dos vizinhos carregando um boneco, que simulava o corpo do menino, percorreu o lado externo e foi até a garagem onde o corpo foi encontrado.

Os veículos de imprensa precisaram desligar as luzes que usavam e iluminavam a rua. Como o local é escuro naturalmente, foi requisitado o desligamento para que Alexandra tivesse as mesmas condições da noite do crime, inclusive a penumbra.

A mãe deixou o local às 23h50, e a reconstituição foi encerrada logo depois. Ao todo, a reprodução simulada durou cerca de três horas.

Fonte/G1

%d blogueiros gostam disto: