Polícia flagra bingos clandestinos funcionando durante a pandemia em Porto Alegre

O funcionamento de bingos durante a pandemia de coronavírus, além de representar uma contravenção em relação a jogos de azar, também pode significar um crime contra a saúde pública. Especialistas alertam para o problema, que persiste em Porto Alegre. A Brigada Militar afirma que, embora tenha fechado várias casas, elas tornam a abrir.

“É um crime contra a saúde pública. A Polícia Civil tem recebido inúmeras denúncias, não só de bingos, mas de aglomerações, e tem tentando atuar em cima. A polícia sempre combateu o jogo de azar, através de bingos e caça-níqueis, e com a pandemia, a questão se agrava”, aponta Adriana Regina da Costa, diretora do Departamento de Polícia Metropolitana.

No outro lado da rua, outro bingo ilegal, o antigo Roma, que já foi fechado dezenas de vezes pela polícia, mas segue aberto. Muitos apostadores também ignoram o decreto que torna obrigatório o uso de máscaras, e tornam ainda maior o risco de contaminação pelo coronavírus.

Em outra casa de jogos, clientes que fazem parte do grupo de risco para o coronavírus entram e saem. Um idoso entra sem máscara. Dentro do bingo, ambiente sofisticado e com jogatina liberada.

“Temos uma epidemia não controlada, uma doença transmissível não controlada. A manutenção de ambientes que favoreçam aglomeração de pessoas em recintos fechados, conversando em tom de voz elevado, é um foco de grande risco para transmissão de infecções virais e, no momento, a principal infecção viral respiratória é a causada pelo Sars-Cov-2, a Covid-19. Não deveríamos ter, seja abertamente ou clandestinamente, nenhum tipo de atividade dessa natureza”, afirma Alexandre Zavascki, chefe do Serviço de Infectologia Hospital Moinhos de Vento.

Outro ponto de jogo conhecido é na Rua Marechal Floriano, no Centro Histórico da Capital. A Brigada Militar diz que já fechou o bingo várias vezes, mas o local acaba sempre reaberto. A contravenção não prevê pena de prisão. Já a Polícia Civil diz que intensificou a fiscalização por causa da pandemia.

“A prática do jogo de bingo, além de configurar contravenção penal, não está entre aquelas atividades consideradas como essenciais autorizadas pelos decretos municipais que regulamentam as novas medidas de combate ao coronavírus. Por isso, as pessoas e os estabelecimentos que forem flagrados realizando essa conduta poderão incorrer no artigo 268 do Código Penal, que pune com pena de até um ano o descumprimento das medidas sanitárias de prevenção de doença contagiosa”, diz o advogados criminalista José Paulo Schneider.

Fonte/G1

%d blogueiros gostam disto: