Polícia Civil conclui que médica de Pelotas sofreu agressões leves; denúncia de violência obstétrica segue em investigação

A Polícia Civil concluiu na quarta-feira (25) o inquérito que apurava as agressões denunciadas pela médica Scilla Lazzarotto no Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), no Sul do estado. A Delegacia da Mulher confirmou que Scilla sofreu agressões leves por parte de Wagner de Quevedo, esposo da paciente, Pâmela de Quevedo.

“Foram confirmadas as agressões, foram lesões corporais leves e teve ameaça também, segundo testemunhas”, afirmou a delegada responsável pelo caso Márcia Chiviacowsky.

De acordo com a delegada, no momento da discussão, o homem teria cometido a agressão por discordar dos procedimentos que estavam sendo adotados para o parto da esposa.

A ação não prevê pena de prisão, conforme a delegada. “É uma pena mínima, é crime de menor potencial ofensivo. Não é uma pena considerável.”

Logo após a denúncia da médica, o casalrebateu as acusações e registrou ocorrência por violência obstétrica. Além disso, a médica também foi denunciada outras duas vezes em cinco anos.

A delegada afirmou que ainda estão sendo feitas diligências a respeito das denúncias de violência doméstica.

O Hospital também está fazendo uma investigação preliminar para apurar as denúncias contra a profissional.

Fonte/G1

%d blogueiros gostam disto: