Lançado por Carpegiani, técnico e promissor: conheça Lucas Ribeiro, novo zagueiro do Inter

Na imponência de um Maracanã tomado por 51 mil almas nas arquibancadas, um garoto de 19 anos fazia a sua estreia como profissional pelas mãos de Paulo César Carpegiani. O Vitória acabou derrotado por 1 a 0 pelo Flamengo. Mas ali, naquele 23 de agosto de 2018, começava um vínculo – ainda indireto – de Lucas Ribeiro com o Inter.

Quase dois anos mais tarde, o jogador de 21 anos surge como a mais nova opção do setor defensivo colorado, emprestado pelo Hoffenheim até o final de 2021. Defenderá justamente o clube em que o treinador que o lançou no futebol iniciou a carreira. E é um dos grandes ídolos na história. Carpegiani não esconde o entusiasmo ao falar do antigo pupilo.

– Sempre foi humilde, disposto a aprender, mas com personalidade forte. É um defensor rápido, físico, alto, que sai jogando com facilidade. Logo foi para a Europa e agora está no Inter. Um futebol com maior exigência ajuda o profissional a se aperfeiçoar. Torço muito pelo Lucas. Que seja feliz no Inter – elogia o ícone colorado.

  • Reforço é reposição prévia a Bruno Fuchs
  • Monaco faz nova investida por Fuchs

Da estreia no Maracanã até hoje, Lucas Ribeiro coleciona uma convocação para a Seleção sub-20, uma experiência efêmera no futebol alemão e menos de 20 jogos como profissional. Ele foi negociado pelo Vitória ainda cedo e anunciado como a maior venda de um clube do Nordeste.

Características

Carlos Amadeu, técnico que convocou Lucas para disputar o Sul-Americano sub-20 pela Seleção em 2019 e hoje comanda o sub-20 do Bahia, diz que se trata de um zagueiro de boas virtudes técnicas e “coragem” para construir o jogo.

“É um jogador com muita coragem para iniciar o jogo, para construir. Tem boas virtudes técnicas, tem um 1 para 1 bom. É uma boa aquisição. Um jogador jovem, promissor, que tem bons recursos de marcação. Mas que tem muito para evoluir” (Carlos Amadeu, ex-técnico da Seleção sub-20)

Mas a juventude é um ponto a ser levado em conta. O defensor iniciou nas categorias de base do Vitória já com 18 anos. Amadeu diz que será preciso um trabalho individual de Eduardo Coudet e sua comissão técnica para lapidar o atleta.

– Por não ter tido escola lá de baixo, ele precisa do cabeceio e da perna de entrada. É um jogador que ainda tem coisas a ser melhoradas. O que é positivo, porque a reserva de evolução é muito grande – analisa Amadeu.

O treinador, por sua vez, falou sobre Lucas na entrevista coletiva após a vitória por 1 a 0 sobre o Coritiba. Destacou o zagueiro com as características que almeja para a posição.

– É um jogador de característica que eu gosto. Central de boa altura. No mercado, dentro das possibilidades, tratamos de aproveitá-las. Não temos a possibilidade econômica de fazer qualquer contratação. Mas de buscar característica e que tenha um bom nível para que possa nos ajudar – afirmou.

Poucos minutos em campo

Monitorado por Amadeu desde o time sub-18 do Vitória, Lucas estreou como profissional em 2018, no já citado duelo com o Flamengo no Maracanã. Ele disputou apenas 16 jogos no clube baiano e em um momento delicado: a equipe lutava contra o rebaixamento.

O zagueiro não evitou a queda para a Série B, mas teve atuações seguras, a ponto de conquistar o carinho da torcida. E de atrair o interesse do Hoffenheim.

 Apesar da juventude, mostrou bastante segurança e caiu nas graças do torcedor. As boas atuações, contudo, não bastaram para impedir o rebaixamento rubro-negro. No início de 2019, Lucas Ribeiro foi negociado com o futebol alemão. Na época, o negócio foi de grande importância para o Vitória, que já vivia grave crise financeira – opina o repórter do ge em Salvador Thiago Pereira.

Lucas foi contratado pelo Hoffenheim ainda durante o Sul-Americano sub-20 de 2019, em que atuou em apenas uma partida. Ele se despede da Alemanha sem deixar saudades. Foram apenas três jogos, com um gol marcado pelo Hoffenheim. Nenhum deles na temporada 2019/20.

O zagueiro chega como uma reposição prévia do Inter a Bruno Fuchs. O clube tem conversas em andamento com os franceses do Mônaco e do Lille, além de outros dois clubes – um da Itália e um da Inglaterra.

Fonte/G1

%d blogueiros gostam disto: