Coronavírus causa mais mortes diárias do que o trânsito no RS

A primeira morte por coronavírus confirmada no Rio Grande do Sul foi na noite de 24 de março, em Porto Alegre. Três meses depois, o estado contabiliza 500 mortes e atingiu a média de mais de cinco óbitos todos os dias, segundo dados da Secretaria Estadual da Saúde.

Em 92 dias desde a primeira morte, a média é de mais de 5,4 óbitos por dia. Para comparar, segundo o Detran-RS, o trânsito vitimou, em 2019, 1.591 pessoas em estradas gaúchas. Isto equivale a uma média diária de pouco mais de quatro vítimas.

“A tendência é, infelizmente, aumentar, porque temos um volume maior da doença na população”, diz o médico Alexandre Zavascki, professor de infectologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) e chefe do Serviço de Infectologia do Hospital Moinhos de Vento. “À medida que vai se agravando a epidemia como um todo, a tendência é que aumente a sobrecarga no sistema. Não estamos com o sistema colapsado, mas a sobrecarga de pacientes, a dificuldades de disponibilizar leitos, começa a agravar a mortalidade”, pontua.

O número de testes aumentou e o avanço é constante, o número de vidas perdidas é cada vezes maior.

“Estão tentando fórmulas que não deram certo em lugar nenhum, e mesmo nelas as pessoas tentam dar um jeito de levar uma vida normal. Estamos vendo os casos e a ocupação dos hospitais aumentarem, e fazemos menos do que já fizemos. A epidemia não vai acabar por decreto“, conclui.

Fonte/G1

%d blogueiros gostam disto: