Central de Transplantes inclui teste de detecção de coronavírus na validação de doadores durante a pandemia

A Central Estadual de Transplantes incluiu testes RT-PCR, destinados à detecção de coronavírus, no processo de validação de doadores de órgãos para transplantes e intensificou o trabalho das suas equipes durante a pandemia de Covid-19.

No Rio Grande do Sul, os testes são feitos pelo Lacen (Laboratório Central do Estado), por laboratórios particulares e em laboratórios de hospitais, como o Hospital de Clínicas de Porto Alegre e a Santa Casa de Misericórdia. Tanto o doador como o receptor têm prioridade no diagnóstico da testagem. “Cabe lembrar que os resultados podem levar de 24 a 48 horas, é uma corrida contra o tempo, e se o resultado do teste retarda, pode-se perder um potencial doador”, explica Sandra.

Neste período de crise sanitária, o Rio Grande do Sul apresentou queda no número de transplantes realizados. Conforme os registros da Central de Transplantes, foram realizados 63 transplantes em março, 39 em abril e 21 em maio, demonstrando o impacto que o coronavírus trouxe.

Fonte/Portal O Sul

%d blogueiros gostam disto: